Rádio Panorama FM 87,9

LATEST NEWS

Mulher é presa em flagrante após esfaquear atual do ex-companheiro; briga foi causada por ciúmes, diz polícia

Mulher foi levada para o Hospital Geral do Estado (HGE) — Foto: João Souza/G1

Caso aconteceu no bairro do Pero Vaz, em Salvador. Suspeita foi presa em flagrante e confessou crime.

Uma mulher foi presa em flagrante, na terça-feira (15), no fim de linha do bairro de Pero Vaz, em Salvador, suspeita de esfaquear a atual parceira do seu ex-companheiro.

Segundo informações da Polícia Civil, o caso aconteceu na localidade conhecida Travessa Otávio Mangabeira. A mulher esfaqueou Sinara Silva Brito, de 26 anos, depois de uma briga motivada por ciúmes, pois a vítima tem um relacionamento amoroso com o seu ex-companheiro.

Em nota, a Polícia Militar (PM) informou que equipes da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) foram informadas, por volta das 11h, que uma mulher de 26 anos tinha dado entrada no Hospital Geral do Estado (HGE), vítimas de golpes de arma branca, na região do abdômen, braços e na perna direita. Não há informações sobre o estado de saúde dela.

Os policiais foram até o local, e a suspeita foi presa em flagrante após confessar o crime. Ela foi conduzida para a 2ª Delegacia Territorial (DT/Liberdade), onde foi autuada por tentativa de homicídio.

Vitória anuncia saída de Jean; atleta vai se transferir para o Marítimo, de Portugal

O volante Jean não tem mais vínculo com o Vitória. O clube rubro-negro anunciou nesta quarta-feira (16) a saída do atleta, que estava cedido por empréstimo ao Corinthians. O jogador vai se transferir para o Marítimo, de Portugal (relembre aqui).

“O Esporte Clube Vitória comunica que acertou amigavelmente e por solicitação do Corinthians, seu clube de origem, a rescisão de contrato com o volante Jean, nesta quarta-feira (16). O Corinthians requisitou a devolução do atleta, conforme clausula no contrato de empréstimo, para que ele se transfira ao Marítimo de Portugal”, diz a nota publicada no site oficial da agremiação.

Jean havia sido cedido por empréstimo pelo Corinthians até o final da Série B. Pelo Vitória, ele atuou em 18 jogos e marcou um gol.

‘Kit Covid’: Saúde avalia distribuir cloroquina, ivermectina e azitromicina de graça

'Kit Covid': Saúde avalia distribuir cloroquina, ivermectina e azitromicina de graça

Foto: Divulgação

Hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina. Três medicamentos que não têm eficácia comprovada contra a Covid-19, mas que podem ser distribuídos de graça pelo Ministério da Saúde como um “kit Covid”. Os compostos são defendidos como tratamento para a doença pelo presidente Jair Bolsonaro, sem base científica.

A ideia da pasta da Saúde é distribuir esses três medicamentos por meio do Farmácia Popular, de acordo com informações do Estadão. O ministério faz estudos, desde julho, para a inclusão desses produtos no programa, que viabiliza medicamentos de forma gratuita ou com 90% de desconto para controle de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e asma.

Apesar da intenção do Ministério da Saúde, o “kit Covid” precisará de prescrição médica para ser adquirido. O chefe da pasta, general Eduardo Pazuello, aprovou a nova orientação que estimula o uso, desde os primeiros sintomas da doença, de hidroxicloroquina ou cloroquina, associadas à azitromicina.

Atualmente, a tabela de preços definida pelo governo federal determina que uma caixa com dez comprimidos de hidroxicloroquina 400mg tem o valor de R$ 25. Dez comprimidos da azitromicina 500mg custam $ 35, enquanto dois da ivermectina valem R$ 15.

Segundo o Estadão, o Ministério da Saúde foi procurado para comentar o assunto, e reconheceu que averigua incluir o “kit Covid” no Farmácia Popular.

Vale lembrar que a equipe do Ministério da Economia estuda extinguir o programa do governo federal. No entanto, a ideia era fazer isso para usar o orçamento de R$ 2,5 bilhões para o Renda Brasil, programa que ia substituir o Bolsa Família. Porém, o presidente Jair Bolsonaro descartou o programa na tarde desta terça-feira (15) (lembre aqui).

Na visão de Eduardo Pazuello, o Farmácia Popular é “estratégigo” para o Sistema Único de Saúde (SUS). Dados do governo federal apontam que o ano de 2019 teve mais de 21,3 milhões de pacientes atendidos pelo programa.

“Evidências demonstraram que o programa reduziu as internações hospitalares e mortalidade em relação à hipertensão e diabete”, afirma o Ministério da Saúde no Plano Nacional de Saúde, que orienta ações da pasta até 2023.

odrigo Maia testa positivo para Covid-19, diz TV

Rodrigo Maia testa positivo para Covid-19, diz TV

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), testou positivo para Covid-19. A confirmação foi feita nesta quarta-feira (16) pela CNN Brasil. Maia deverá, de acordo com informações preliminares, cumprir o isolamento em casa. 

Pelo rito da Câmara, o afastamento de Maia não impede a continuidade dos trabalhos, que pode ser assumido pelo vice-presidente da Casa, Marcos Pereira (Republicanos).
 

Eduardo Pazuello será efetivado como ministro da Saúde

Depois de quatro meses como ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello será efetivado no cargo. A cerimônia de posse ocorrerá na quarta-feira (16).

Pazuello assumiu interinamente o comando da pasta em 16 de maio, em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Ele substituiu Nelson Teich que ficou um mês no cargo, tendo substituído Luiz Henrique Mandetta.

Nesses quatro meses, Pazuello defendeu o tratamento precoce de covid-19 e a autonomia de estados e municípios na adoção de políticas de isolamento social. Com ele à frente da pasta, o Ministério da Saúde estabeleceu uma nova diretriz com orientações para o uso precoce da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, inclusive para casos leves. Ao mesmo tempo, o ministro destacou que não vê nada de errado em questionar o uso do fármaco para esse fim.

General do Exército, Pazuello é especialista em logística. O militar foi coordenador logístico das tropas do Exército durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, além de ter coordenado as operações da Operação Acolhida, que presta assistência aos imigrantes venezuelanos que chegam a Roraima fugindo da crise política e econômica no país vizinho.