Os Frutos do Espírito Santo 2#

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.” (Gálatas 5:22,23) O texto de Gálatas 5 sobre os frutos do Espírito é um texto muito famoso e serve como um tipo de “resumo” do caráter do próprio Jesus. Ele nos ajuda a lembrar como ser filhos perfeitos, como agradar o nosso Pai.

O fruto é uma questão de tempo

A figura que Paulo escolheu para falar da nossa transformação pessoal foi a de um “fruto”. Isso talvez signifique que assim como o fruto de uma árvore depende do tempo e da própria árvore para crescer nós também precisamos de tempo e da operação de Deus.

Alegria

alegria

O que lhe dá alegria no dia a dia?

Se pararmos para pensar iremos concluir que pelo menos três situações despertam alegria em nós:

  1. Nos sentimos alegres quando estamos com pessoas que amamos, familiares ou amigos. Podemos dizer que nesse sentido a alegria é relacional, os relacionamentos podem fazer com que nossos olhos brilhem e podem nos dar esperança.
  2. Nos sentimos alegres quando recebemos boas notícias, um parente esta no hospital e você recebe a noticia que a cirurgia foi bem sucedida, você recebe uma ligação anunciando que foi aceito em determinado emprego ou vê seu nome na lista de aprovados. As boas notícias tem o poder de mudar o nosso ânimo e nos deixar alegres, portanto ela é celebrativa.
  3. Por último, nos sentimos alegres por estarmos vivos. A simples capacidade de dar uma volta em um parque, a capacidade de correr, sentir o vento, contemplar um por do sol, executar com êxito uma nova tarefa enche nosso coração de alegria. A alegria é criacional.

Estes três motivos de alegria poderão sempre estar presentes na vida do cristão. Ele pode usufruir de alegria relacional porque recebeu uma família verdadeira e genuína que é a igreja, pode ter alegria celebrativa porque recebeu a melhor de todas as boas notícias: as boas novas do evangelho. E a alegria criacional, pois sabe que é amado e capacitado por Deus para fazer o bem e usufruir da criação.

Por último a alegria do cristão ainda está em conhecer e obedecer os mandamentos de Deus. Davi em muitos dos seus salmos afirma “tenho prazer nos teus mandamentos”. No texto de Neemias 8 o povo de Israel se alegrou sobremaneira porque entenderam e obedeceram os mandamentos de Deus.

Cabe ressaltar que um cristão que luta para ter alegria nas circunstâncias da vida é diferente de um cristão que está sofrendo de depressão. Este último caso caracteriza-se como uma doença, e assim como uma gastrite ou asma, necessita de ajuda médica. Se você encontrar alguém que está sofrendo de depressão não tente dizer “alegre-se no Senhor!Pare com isso!” Isso costuma piorar o sofrimento dessas pessoas, pois o que as impede de sentir alegria são componentes orgânicos (neurotransmissores, equilíbrio hormonal) e não falta de vontade.